setembro 26, 2021

Com propósito de transformar a vida de jovens da periferia, Mais1code ensina programação de forma gratuita

Negócio de impacto social, quer reprogramar a quebrada através do Ensino de programação

Segundo uma pesquisa do Data Favela, em parceria com o Instituto Locomotiva e com a Central Única das Favelas, durante a pandemia da Covid-19, 71% das famílias que moram em periferias brasileiras estão sobrevivendo com menos da metade de sua renda original. Isto significa que, centenas de famílias perderam seus empregos, sendo a maioria das pessoas que materializam estes dados, moradores da comunidade.  

Por outro lado, o setor industrial brasileiro sofre um paradoxo, uma vez que milhares de indivíduos encontram-se sem trabalho e as empresas, sem funcionários. Pensando nisto, na escassez da mão de obra qualificada e em ajudar a diminuir a desigualdade na quebrada e formar jovens solucionadores de problemas por meio da tecnologia, nasceu a Mais1code. Projeto que proporciona educação tecnológica de qualidade e acesso a trilhas formativas para o desenvolvimento social e econômico do periférico, de forma gratuita e 100% online. 

A ideia é capitaneada pelos amigos Tauan Matos, especialista em desenvolvimento de franquias de alto padrão e Diogo Bezerra, formado em marketing, membro do programa Jovem Líder das Américas e fundador da escola de inglês 4WAY.  

Tauan e Diogo se conhecem desde os 14 anos. Ambos cresceram na periferia de grandes cidades e sabem bem o que é ter que lutar numa disputa desigual para poder vencer na vida. Juntos, chegaram a vender água e iogurtes em eventos quando eram jovens para complementar a renda. 

Idealizado em 2019, o projeto Mais1code surgiu quando um morador da comunidade perguntou onde ele poderia encontrar um projeto que ensinasse programação de forma gratuita na quebrada dele.  

Diogo Bezerra, um dos fundadores, chegou a procurar, mas não encontrou nenhuma inciativa que tivesse conexão com a realidade daquele garoto.  

Foi então que convidou seu amigo Tauan Matos e juntos construíram a escola de formação, que foi implementada em 2020. No primeiro ano, 50 jovens foram impactados e ainda este ano o objetivo é proporcionar bolsas de estudo gratuitas para 200 jovens. Até o momento 140 jovens já foram impactados. 

Durante o ano de 2021, a Mais1code ganhou o Selo de Negócio de impacto social da Artemisia (organização sem fins lucrativos, pioneira na disseminação e no fomento de negócios de impacto social no Brasil), além de ganhar a competição de Pitch da Ago Social. 

O projeto ganhou proporções sequer imaginadas pelos fundadores e Diogo Bezerra foi convidado para palestrar no 1Mi, evento da Unicef, para um grupo de jovens que queriam saber mais sobre negócios de impacto social. 

COMO FUNCIONA  

O curso é 100% gratuito para os jovens de baixa renda, que são o foco da iniciativa. Eles passam por um processo Lab Mindset que envolve letramento digital, identificação de habilidades, formação de grupo de 3 a 5 pessoas, ideação de solução tech para sua própria quebrada e encontros semanais com os mentores, depois inicia-se a Universidade Mais1Code, onde é realizado o desenvolvimento do conhecimento, criam-se protótipos, participam de Workshops e encontros semanais de três horas. Após este período de imersão, caminha-se para as trilhas Hub +1Code (processo este que orienta jovens que desejam vender seus produtos e soluções) ou Mercado de Trabalho, onde identifica-se quem deseja trabalhar em empresas tech. 

Após a formação e a contratação do jovem, é feito um contrato de um ano em que uma porcentagem do salário dele é revertida para Mais1code para que o dinheiro possa ser reinvestido no negócio, impactando outros jovens. 

Também é possível colaborar com a iniciativa por meio de um fundo de doação chamado Fundo de Apoio ao Jovem Programador da Quebrada (https://bit.ly/3ziBhwh). 

MERCADO 

De acordo com os fundadores, estima-se que em 2024 vão haver 420 mil vagas pra programação no país. Em média apenas 26% deste mercado é composto por mulheres, mas na Mais1code 60% do público atendido é feminino.  

Por este e outros motivos se faz necessário levar a linguagem da programação para adolescentes da periferia de modo que eles não sejam operários do mercado, mas sim solucionadores de problemas e passem também a fazer parte de uma das carreiras mais promissoras da sociedade. 

Site da Mais1Code: http://mais1code.com.br/   

Redes Sociais Mais1Code: Instagram: https://www.instagram.com/mais1code/