maio 18, 2022

Inclusão digital nas escolas: importância + desafios

No atual mundo digital, cada vez mais surgem inovações tecnológicas que trazem mudanças não apenas para a forma de comunicação entre as pessoas, mas também no desenvolvimento social, cultural e econômico da sociedade.

É a partir disso que podemos enxergar o uso de computadores, smartphones e tablets como uma ferramenta de ensino. Nesse sentido, a inclusão digital nas escolas tornou-se algo cada vez mais importante para o aprendizado.

A internet pode auxiliar professores a prepararem atividades, proporcionando aos alunos uma maior motivação em seus estudos, além de um universo maior de busca por novas informações. 

Todas as inovações trazidas pela informática no ensino mostram como as escolas devem tratar essa nova fase da educação. Ou seja, cada vez fica mais evidente a importância de disponibilizar o acesso às novas tecnologias. 

E, principalmente, que os professores estejam constantemente atualizados para conseguir acompanhar essas evoluções digitais e, é claro, o ritmo de seus alunos.

Pensando em todas essas questões, falaremos um pouco mais sobre o que é inclusão digital nas escolas, qual a sua importância e os desafios que as instituições enfrentam para colocar isso em prática. Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é inclusão digital escolar?

Podemos definir inclusão digital nas escolas como o processo de democratização do acesso às tecnologias da informação. Dessa maneira, todos podem ser inseridos, de modo igualitário, a diversas tecnologias dentro do ambiente escolar.

Essa transformação digital pode ser utilizada tanto por parte dos professores, com o objetivo de simplificar a rotina, apresentar conteúdos de maneira diferenciada e até mesmo maximizar o seu tempo.

Da mesma forma, ferramentas digitais podem ser utilizadas pela gestão escolar como a ideia de otimizar processos e unificar todas as informações sobre os alunos, notas e atividades em um único lugar.

Já para os alunos, a inclusão digital pode ser vista também como uma maneira de inclusão social dos indivíduos. Isso porque, como falamos, num mundo cada vez mais tecnológico, não ter acesso a essas ferramentas faz com que oportunidades de integração sejam perdidas.

Entretanto, como podemos imaginar, essa inclusão digital escolar é muito mais fácil de ocorrer em instituições privadas do que públicas. Além disso, a própria localidade das escolas podem se mostrar como desafios para a implementação dessa ideia. 

Ainda assim, essa é uma questão que ganhou tanta relevância no cenário geral que em 2020 foi criado um Projeto de Lei (PL) 4.538/2020 que prevê que estudantes de baixa renda da educação básica devem ter acesso a internet e a equipamentos para aulas online.

Como podemos imaginar, essa se tornou uma preocupação ainda maior por conta das aulas a distância que ocorreram nos últimos anos. 

A ideia da a lei ainda é criar o Programa Nacional de Inclusão Digital para a Educação Básica, com o objetivo de ampliar o acesso às tecnologias da informação e comunicação por estudantes da rede pública de ensino da educação básica.

Qual a importância da inclusão digital nas escolas?

Entre as principais vantagens da inclusão digital nas escolas podemos falar sobre a motivação dos alunos e, principalmente, do aumento no engajamento durante as aulas.

A questão é simples: a tecnologia já está inserida no cotidiano dos estudantes de diversas maneiras. Não usar essas ferramentas de forma auxiliar nas aulas é negar a realidade que os alunos já estão familiarizados.

Além disso, segundo uma pesquisa realizada com professores, o uso de tecnologia digital para “apresentar informações” aos alunos ajudam a:

  • 80%: contextualizar melhor os conteúdos;
  • 86%: diversificar a aula;
  • 81%: tornar as aulas mais interessantes e engajadoras;
  • 60%: ampliar o domínio sobre o conteúdo que leciona;
  • 67%: deixa a turma mais feliz.

Isso mostra como o mundo digital fornece dispositivos importantes para os próprios educadores, que contam com mais tecnologias para apresentar suas aulas. 

Uma dessas ferramentas que podem ser incorporadas principalmente no ensino híbrido ou a distância é o Google Classroom, um espaço virtual para que professores possam ensinar seus conteúdos e interagir com alunos e pais.

Além disso, o uso de tecnologias em sala de aula ainda permite que os alunos tenham novas formas de experimentar o conhecimento. Para além do ensino tradicional, é a oportunidade de incorporar a aprendizagem digital, com o uso de diferentes tendências, como:

  • aprendizado mobile;
  • gamificação;
  • realidade virtual;
  • microlearning.

Agora que já conhecemos o que é inclusão digital no ambiente escolar e até mesmo as principais vantagens que isso traz, tanto para os alunos quanto para os professores, precisamos ressaltar que a sua implementação não é simples. Conheça os principais desafios para essa inclusão.

Desafios para inclusão de tecnologias no ambiente escolar

Como vimos, o grande objetivo da inclusão digital nas instituições escolares é levar democratização de acesso, incluindo no ambiente público. Apesar disso, sabemos que muitas das escolas públicas do Brasil possuem grandes deficiências em estrutura e materiais pedagógicos.

Essa questão afeta diretamente a inclusão das ferramentas digitais no ambiente escolar e, principalmente, o acesso dos alunos a essas tecnologias. 

Agora, confira os maiores desafios da inclusão digital na educação. 

Falta de acesso às tecnologias

Algumas informações interessantes podem ser avaliadas em relação ao acesso de diferentes aparelhos tecnológicos, principalmente quando comparado à classe social. De acordo com o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br):

  • o aparelho mais utilizado para acessar a internet é o celular, de acordo com 99% dos respondentes;
  • os celulares são o único meio de acesso de 58% dos entrevistados;
  • nas classes D e E, esse número que salta para 85%;
  • entre a classe A, 95% das pessoas consultadas possuem um computador em casa.

Nesse sentido, o acesso a dispositivos mais adequados para acessar conteúdos é uma das principais barreiras enfrentadas durante o ensino a distância nos últimos anos, principalmente em algumas regiões do país. 

Essas questões mostram que, fora dos grandes centros urbanos e pensando em um público de menor renda, a realidade da inclusão escolar é um desafio cada vez maior. Mais do que isso, o uso das tecnologias dentro da escola é a oportunidade que muitos alunos têm para conhecer e fazer uso desses aparelhos.

Conectividade

Segundo um estudo do TIC Domicílios, cerca de 47 milhões de brasileiros com 10 anos ou mais ainda não estão conectados à internet. Além disso, os dados mostram que 25% dos habitantes de áreas urbanas e 47% das rurais ainda não são usuários de internet.

Ou seja, mais do entender a importância da inclusão digital nas escolas, devemos pensar que inúmeras casas pelo Brasil inteiro não possuem acesso ao básico dessa tecnologia, desde os aparelhos até a própria internet.

Por isso, oferecer esse acesso dentro das escolas é tão importante.

Inclusive, desde 2008 o Ministério da Educação busca levar conectividade às escolas públicas urbanas do país por meio do Programa Banda Larga nas Escolas (PBLE). O objetivo por trás dessa ideia é implementar a infraestrutura necessária para o uso de internet de alta velocidade nos ambientes escolares até 2025.

A verdade é que a inclusão digital nas escolas já é a realidade de muitas instituições, principalmente as privadas. Afinal, como vimos, isso proporciona melhoras significativas tanto para a gestão quanto para os professores e, principalmente, para os alunos.

Isso só é possível com a implementação de novos projetos e até mesmo com o auxílio de ONGs que levam essa discussão para inúmeros locais. 

Preparo dos professores

Segundo esse estudo, apenas 34% dos professores entrevistados sentem que possuem total facilidade em utilizar a tecnologia digital na sala de aula.

Isso mostra que além da dificuldade de acesso por parte dos alunos, muitos educadores também encontram problemas, especialmente por não estarem tão familiarizados quanto a maioria dos estudantes.

A verdade é que pouquíssimos profissionais tiveram acesso ou até mesmo estudaram sobre a importância das tecnologias digitais no ensino. Por conta disso, muitos precisam aprender por conta própria a conhecer as ferramentas e encontrar maneiras de incorporar isso à sua aula.

De acordo com o TIC Educação, 93% dos professores que trabalham em escolas urbanas afirmam que aprendem a usar novas tecnologias sozinhos. 

Inclusive, é fundamental que as próprias escolas, que tenham essa estrutura, incentivem e promovam treinamentos para que os professores conheçam as diferentes ferramentas digitais que existem atualmente, e que podem acrescentar muito em seu trabalho.

Este post é de autoria da Safetec Educação, uma empresa com mais de 10 anos de mercado, obcecada em criar experiências na área educacional, através de soluções simples e colaborativas, que gerem resultados.